TIM espaço mulher

Menu

Saúde

Semana mundial de amamentação destaca a importância do apoio da família

A produção do leite é estimulada quanto mais o bebê suga o peito da mãe. (Foto: Pixabay)

A semana mundial de amamentação (SMAM) acontece na primeira semana de agosto, em mais de 170 países. O mês também é conhecido por Agosto Dourado. 

Fortalecer o sistema imunológico, evitar a diarreia e prevenir a anemia são alguns dos benefícios que protegem a mãe e o bebê, durante a amamentação. A prática é recomendada pelos médicos, até no mínimo seis meses, e, no máximo dois anos de idade. 

Com o objetivo de estimular a iniciativa, nasceu a Semana Mundial de Amamentação (SMAM), que acontece anualmente toda a primeira de semana de agosto, em mais de 170 países. Neste ano, a campanha do Ministério da Saúde tem como tema “Amamentação. Incentive a família, alimente a vida”, e destaca a importância da participação dos familiares durante o período de aleitamento.

O leite materno é essencial à saúde do bebê. Por isso, nos primeiros seis meses de vida da criança deve ser o único alimento ingerido. Ele possui tudo o que o bebê necessita, inclusive água. Segundo informações do Ministério da Saúde, com o leite materno o bebê fica protegido de problemas como: infecções respiratórias e otites, além de doenças crônicas, entre elas diabetes, alergias e até incidência de câncer infantil. 

Durante a amamentação, muitas mães podem ter dúvidas sobre quais alimentos ajudam e quais devem ser evitados. Em geral, o que pode causar desconforto é o excesso de alguns itens no dia a dia, mas existem produtos que, realmente, devem ser evitados.  

Evitar: alimentos ultraprocessados e álcool. O vinho também deve ser evitado, mas uma taça de até 100 ml pode ser consumida, sem problemas. Em alguns casos, a proteína do leite e derivados não devem ser consumidos no período. Mas a recomendação deve seguir orientações médicas. 

Liberados: a água é um dos alimentos mais recomendados, já que estimula a produção do leite materno. Além de frutas, legumes, verduras, ovos e carne. 

Importante lembrar que, durante a amamentação, mulheres devem evitar dietas restritivas. A alimentação deve ser a mais rica possível com a ingestão de muita água, pois durante o período a mãe tende a ficar desidratada. 

De acordo com o Ministério da Saúde, pode prejudicar a amamentação:

— Dar outros leites para “complementar” o leite materno. Isso faz com que a mãe produza menos leite, além de expor a criança a maior risco de adquirir doenças.

— Oferecer qualquer líquido por mamadeira. A criança pode se confundir, pois os jeitos de sugar o peito e a mamadeira são diferentes.

— Oferecer chupeta. As crianças que usam chupeta mamam por menos tempo.

— Fumar, consumir bebidas alcoólicas e usar remédios por conta própria.

Governo amplia rede de assistência 

Na última quarta-feira (31), em Brasília, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, anunciou durante o início da campanha anual de amamentação a habilitação de 39 unidades hospitalares como Hospital Amigo da Criança, com a finalidade de qualificar ainda mais a atenção à saúde da gestante e do bebê no país. 

“O modelo atual de pagamento da Atenção Básica é feito por meio de números estáticos, ou seja, por per capita e número de equipes de Saúde da Família. Agora, queremos que o repasse seja feito, também, por indicadores. Alguns são clássicos, como a mortalidade infantil, e agora estamos colocando, como indicador, o tempo médio de amamentação nas cidades, onde as equipes de saúde estão inseridas. Assim, quanto mais o tempo médio de amamentação aumentar localmente, mais recursos poderão ser disponibilizados, para estimular cada vez mais o trabalho com foco na amamentação”, disse em entrevista à imprensa. 


TIM espaço mulher

Insira o número do PINCODE

· Serviço exclusivo para clientes TIM

· Receba dicas que toda mulher precisa saber!